20/02/2017

Igual... Mas ao contrário.

Há quase quatro anos atrás eu era Leve, era assim.

Hoje sou leve ainda. Tenho mais penas no coração e mais memórias na mente do que naquela altura, mas pelo caminho também larguei algum peso que me oprimia... Por isso, continuo leve. E faço por caminhar direita, não por efeito do amor que alguém me vota, mas pelo amor que vou dedicando a mim, que me enche de orgulho e de optimismo. Os dias já estão a ficar maiores. É o renascer.

6 comentários:

  1. Fico muito contente de ler o que escreve e descreve.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Pedro, pelas palavras sempre gentis!

      Eliminar
  2. Sempre arranjamos maneira de alcançar o necessário equilíbrio. O peso certo para caminhar e voar quando nos apetece. :)

    ResponderEliminar
  3. Sim, Luisa, equilíbrio é o grande objectivo! =)

    ResponderEliminar
  4. B a leveza que sentes hoje só depende de ti por isso é mais fácil de manter. A que depende dos outros tem demasiadas oscilações e podem acabar por te pesar.
    O amor próprio é tão importante na vida de um ser humano, é com ele que conseguimos diminuir o peso dos problemas do dia a dia. Ele faz-nos confiar no dia de amanhã porque sabemos que conseguiremos sempre dar a volta.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Li há tempos "se esperas que os outros te façam feliz, vais andar sempre desiludido". É, por outras palavras, o que acabas de dizer, Mary =)

      Eliminar