18/12/2011

O Idalécio


Responde pelo extraordinário nome de Idalécio, embora eu pertencesse ao círculo restrito autorizado a chamar-lhe "Lecinho".
Curso de cozinha recém terminado e foi trabalhar lá para a Quinta, preparar aos pratos XPTO para os turistas mais exigentes.
As senhoras da cozinha, antigas (na casa e na idade) escandalizavam-se comos modos descontraídos dele,de cozinhar ao som de Linkin Park, de perder tempos com decorações e temperos, enquanto elas tinham que descascar 20Kg de batatas.
O Lecinho ensinou-me o que era fazer uma redução. Fê-lo com vinho do Porto branco e deixou-me tirar um bocadinho com o dedo, para provar. E isso virou hábito. Nas horas mortas, eu sentava-me sobre a bancada e via-o, de jaleca impecável, a reduzir vinho, a afiar as facas, a preparar molhos e ervas e especiarias, a entornar caramelo ou chocolate temperado na mesa de mármore para os trabalhar e fazer decorações para os seus pratos doces e ingénuos, mas ambiciosos e cheios de promessas, como os seus sonhos.
Gostava de ficar ali a observá-lo, sempre à espera que me presenteasse com mais um sabor, uma textura, uma experiência, uma intimidade.
"Come antes uma peça de fruta", era a resposta típica dele para qualquer questão melindrosa. Há dois anos mudei de trabalho. Há dois dias voltei a vê-lo. Não me lembrava que ele era tão alto. Tem o cabelo mais comprido, fica-lhe bem. E, quando me despedia: "Vou fazer um bocadinho de tempo, ir ali à livraria, até serem horas de ir buscar a minha irmã à escola", ele sai-se deliciosamente com essa: "Come antes uma peça de fruta". Adorei rever o Lecinho...
Adorava dizer-lhe que agora faço Zabaione...

Sem comentários:

Publicar um comentário