18/12/2012

Metamorfose

...aquela vontade que dá de ousar. De "seguir a minha estrela". De telefonar. De ir. De dizer. De abraçar. De me perder.
 
Depois acordo do devaneio, no dia seguinte, e sinto o peso do que não aconteceu, do que não fui... e respiro agradecida pela minha falta de impulsividade. Como se a noite anterior tivesse sido uma metamorfose, alguma Lua que me deu, desvarios de uma imaginação recheada de histórias de terceiros roubadas de livros e filmes... Como se à luz do dia eu não pudesse suportar a farsa que a noite me inspira.
Então rastejo a minha rotina diária e, à noite, acorrento-me à rocha firme que é a certeza de que o que farei se der asas àquela inspiração insana se voltará contra mim no dia seguinte...
 
Quantas noites mais me atreverei eu a ser igual?
 

7 comentários:

  1. Tenho a firme opinião que as pessoas se arrependem mais daquilo que não fizeram, do que daquilo que tentaram fazer ou fizeram! Pelo menos ficam com a consciência que tentaram e não ficaram tolhidas pelo medo. E se fizeram e erraram... quem nunca errou que atire a primeira pedra! :)

    ResponderEliminar
  2. Será que volta? Ou será que o que se volta contra ti é o facto de não teres feito o que imaginaste? Beijinhos e Bom Natal

    ResponderEliminar
  3. Por vezes é bom levar essa metamorfose para a realidade :)

    ResponderEliminar
  4. Venho em passo de corrida, porque estou de partida.
    Festas Felizes e até breve

    ResponderEliminar
  5. Faço essa pergunta a mim mesma, vezes e vezes sem conta. Já tinha vontade de te ler! =)

    ResponderEliminar