23/03/2014

Um ano

Há um ano atrás eu tinha um amor novo, recente. Há um ano atrás o ar tinha começado a ter cheiro e as coisas, todas as coisas, passaram a ter um outro encanto, se me faziam lembrar dele, ou uma outra insignificância, se nada tivessem a ver com ele.
Há um ano atrás eu tinha finalizado um percurso sinuoso, vertiginoso, para abraçar algo novo; para me deixar abraçar, o que também era algo novo.
Há um ano atrás tudo o que eu tinha era um amontoado de anos mais ou menos iguais, mais ou menos mornos. Hoje, um ano inteirinho depois, tenho uma nova colecção de risos e recordações. Não imaginaria nunca o que poderia mudar num ano; tanta coisa! Toda a minha forma de ver a vida e os outros!
E, agora que já passou um ano, dia após dia dou por mim a pensar "há um ano fizemos isto", ou "há um ano fomos ali pela primeira vez", ou "há um ano nasceu esta brincadeira"... Há um ano atras eu estava a apaixonar-me pelo meu amor.
Os dias estão a ficar novamente soalheiros e quentes e eu sinto em mim aquela excitação de me estar a apaixonar outra vez porque, agora que já passou um ano, eu já posso pensar "no ano passado fizemos assim e fomos ali", e isso enche-me de vontade e de expectativa para ver o que o nosso segundo ano nos ira trazer. Apaixonar-nos de novo!

7 comentários:

  1. Que daqui a um ano possa estar aqui a escrever passou mais um ano e continuo a ser feliz, é o que lhe desejo.

    ResponderEliminar
  2. Continuares apaixonada, porque não te podes apaixonar de novo quando a paixão não acabou. Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. está bem visto, Mary... perspicaz, como sempre =)

      Eliminar
  3. Sempre e todos os dias :)
    Um beijinho grande Briseis

    ResponderEliminar
  4. É bom sentir-se assim... :) Que o sentimento dure e dure e dure e dure como naquele anúncio do coelhinho das pilhas. :))

    ResponderEliminar