12/04/2017

A mota

Amigo querido, a quem falo pouco, e vejo menos ainda... Hoje ligou-me, enquanto estava à espera de algo, resolveu ocupar o seu tempo comigo... Tão bom! Disse-me que comprou uma mota e eu, em tom de brincadeira, fiz-lhe notar que tem que andar sempre com dois capacetes, um para ele e outro para as meninas que hão-de querer dar umas voltinhas. Respondeu-me de forma decidida que tem capacete para ele, quem quiser andar com ele tem que se arranjar...
A conversa derivou para o trabalho, que nos ocupa os dias, para os amores que nos desgostam e deixam um vazio, e aquela ligeira melancolia que nos ataca dez anos depois de sair da faculdade por verificarmos que não estamos no ponto onde imaginámos na altura que estaríamos e que a solidão é companheira mais vezes do que o que seria desejável. E depois ele disse coisas maravilhosas. Coisas que eu já sabia mas que às vezes esqueço... Disse que a aprendizagem mais importante que fez nos últimos tempos (inclusivamente com a ajuda dos seus romances efémeros) foi aprender a estar bem sozinho. A fazer as coisas por si próprio, por decisão e vontade sua, sem andar ao colo ou à boleia de alguém. Em suma, a validar em si próprio a sua vida e os passos que dá. E referiu que a compra da mota é no fundo uma expressão disso mesmo, porque numa mota é só ele sozinho, nao tem, como num carro, 4 lugares vazios à sua volta, ou entao cheios pela conveniência de uma boleia e não por verdadeira vontade de estar com ele.
E então, como um circulo que se fecha, relembrámos o pormenor de andar com um único capacete. Porque ele conta com ele. É inteiro. Quem vier, que venha inteiro também.

6 comentários:

  1. Esse seu amigo fez-me recordar de mim próprio, há algumas décadas. Também optei pela moto.
    Uma Páscoa Feliz para si e família

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que os tempos de mota tenham sido felizes, Carlos! E espero que para o meu amigo também sejam... =)Boa Páscoa!

      Eliminar
  2. Apanhei um grande complexo com as motas aos 17 anos - perdi um amigo num brutal acidente de mota numa idade em que não é suposto morrer.
    NUNCA mais andei de mota, NUNCA mais andarei de mota.
    Beijos
    Votos de uma Santa Páscoa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acontecimentos como esse deixam-nos marcas profundas, Pedro... Rezo para que o meu amigo tenha um Anjo da Guarda sempre atento...
      Um beijinho e Páscoa Feliz!

      Eliminar
  3. Boa tarde, seu amigo compreendeu na perfeição que a independência é a nossa liberdade, somos como somos, só nos aceita quem quer, ninguém é de ninguém, andar de mota, não é só acelerar, mas é, sentir o vento em total liberdade, quem vier por bem, traga uma amigo também, sente-se atrás e desfrute.
    Votos de Páscoa repleta de alegria! Feliz Páscoa!
    AG

    ResponderEliminar
  4. Boa Páscoa, AG! ...o dia já passou mas o espírito de Luz e Ressurreição permanecem... =) obrigada pelas boas palavras!

    ResponderEliminar