08/02/2013

Saber recuar



Desistir não é bom. Não arriscar é a frustração suprema de aceitar permanecer ad eternum com mais um "e se...?".
Mas eu acho que a prova maior de sanidade é reconhecer quando o preço a pagar (a perda da serenidade) e o risco de não conseguir são maiores do que a recompensa de ir e vencer. Eu reconheço isto.
 
Eu não gosto de desistir. Eu luto, sempre que posso e que me é fisicamente suportável. Mas às vezes a luta agiganta-se ainda antes de começar. E o meu sono, as batidas serenas do meu coração, as minhas mãos quentes, a minha sanidade e o meu apetite não merecem ser sacrificados desta forma. Não sempre. Não porque é o normal e o esperado. Eu não sou normal, não reajo normalmente às coisas e o que é esperado de mim pesa-me de uma forma insuportável.
Não me orgulho de fugir. Vou ter vergonha e vou pedir desculpa, mas estou a aprender a caminhar sem medo e é um erro desatar a correr só porque me desafiaram a isso.
 
Sanidade é reconhecer onde estou e sopesar aquilo que tenho a perder contra o que poderei ganhar. E desta vez, para minha vergonha e frustração, mas para meu sossego também, vou recuar perante um desafio.

6 comentários:

  1. Briseis as pessoas às vezes esperam demais de nós e se calhar o que elas esperam não corresponde ao que nós queremos dar e entre o que elas esperam e o que nós queremos...Fica pelo que queres. Há desafios interessantes mas outros...O sossego recompensa. Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. obrigada pela compreensão de sempre! =) beijinho

      Eliminar
  2. A autoconsciência é um dom, por vezes também temos de saber não aceitar um desafio, de certo que tomaste a melhor opção para ti!*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que sim... espero que o arrependimento não venha morder-me os calcanhares... =)

      Eliminar