02/10/2012

Amazing moments in life

Às vezes penso que há algo de errado comigo...
Não penso que sou única, mas penso que sou parte da minoria, sou parte do grupo de poucas pessoas que não querem (ou não sabem) VIVER com os outros.
O meu convívio com os outros faz-se em minutos bem precisos e contados, em certos locais e contextos e um deslize para fora desses limites deixa-me, às vezes, desconfortável, outras vezes, em pânico.
Às vezes penso que me falta algum químico no sistema, alguma ligação no circuito, que me faz tão singular. Tão incapaz de ser NÓS num par ou no meio de um grupo; ser sempre Eu e os Outros.
Como se fossem extraterrestres, todos. Ou eu... como se fosse eu a extraterrestre e não me possa desconcentrar em momento nenhum, dar nenhuma resposta errada, fazer nenhum gesto estranho, destacar, sob pena de ser descoberta, exposta, devassada...
Há dias em que penso que há algo de errado comigo mais insistentemente do que noutros... Hoje é um dos dias mais...
E eis que, já a preparar-me para me recolher (uma das minhas horas favoritas do dia!), a internet me atira com esta: 

(imagem retirada daqui)

...e dei-me conta que, nesta lista, só 4 pontos estão directamente dependentes de outros..
E comovi-me. Comovi-me até às lágrimas, por ridículo que possa parecer... porque, afinal, a monotonia inóspita que é a minha vida deve-se, afinal, ao facto de eu saber aproveitar maravilhosamente os meus momentos sem ninguém. Isso preenche-me. Isso faz com que eu não sinta (quase nunca) falta de gente à minha volta..

E, quando sinto, normalmente sento-me e espero que passe...

15 comentários:

  1. Concordo contigo. Em como é bom e importante aquilo que fazemos e vivemos sozinhos, nos nossos momentos, ao nosso ritmo, no nosso espaço e no "nosso mundo". Mas também acho que por muito que caminhemos sozinhos, nunca o estamos verdadeiramente. E ainda bem. É sempre bom e importante ter alguém a quem dar a mão. Nem que seja por breves instantes. Beijinho*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Helena, obrigada pelo comentário carinhoso... =)

      Eliminar
  2. bem me parecia que havia algo em ti que não era terreno.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. hum... não consigo decidir se isso é positivo ou não... na dúvida, vou escolher pensar que é bom... =)

      Eliminar
  3. Equilíbrio... é o que precisamos. Somos seres sociais, dificilmente (sobre)vivemos sem os outros... mas passamos bem algum tempo sem eles :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Luísa... eu sou mais do tipo "passo bem algum tempo com eles"... =)

      Eliminar
  4. Entendo-te bem. A sério. Muitas vezes, ficar comigo mesma é uma necessidade quase fisiológica... Santo Agostinho, para mim um dos maiores pensadores de sempre, encontrou a alegria verdadeira dentro de si, depois de a ter procurado por todo o lado!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fabi, obrigada pelo exemplo inspirador... Mas acho que santa não é carreira para mim... =)

      Eliminar
  5. Eu tinha muita coisa para dizer em relação a isto tudo, como deves calcular... mas deixo um excerto interessante de um homem ainda mais interessante!
    http://www.youtube.com/watch?v=q63Ycb8ZRec&feature=related

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como se ouvir estas simpáticas palavras de um ancião pudesse legitimar os meus caprichos... =) obrigada!

      Eliminar
  6. B gostares de estar só não é um problema, pelo contrário. Quem nunca consegue estar só e passa a vida rodeada de gente é que tem um problema de solidão e de auto-confiança, a maior parte das vezes. Eu adoro estar só, adoro pensar, reflectir, estar à vontade. As pessoas que não gostam de estar sós, quando estão sofrem de ansiedade. Precisam de companhia para se sentirem amadas. Algumas delas fazem questão que se saiba com quem estiveram, que fizeram, etc. Esta sociedade, já deves ter dado conta, pensa que andar em grupo é sinal de estar inserido nela, de ser feliz. Não é assim. A maior parte das pessoas anula-se para ser aceite por um grupo.
    Eu como sempre gostei de fazer o que me apetece, nunca gostei de impor a minha vontade e nunca fui "Maria vai com as outras" dou-me muito bem só. Se reparares, principalmente as mulheres, são incapazes de ir às compras sós, têm que levar sempre uma amiga. Eu adoro ir só, perco o tempo que me apetece e não estou condicionada à vontade de ninguém. Percorro quilómetros só para ir às compras. Resumindo adoro a solidão,dá-me prazer ser completamente livre.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Brown Eyes, como sempre, a tua serenidade e aceitação são maravilhosas e reconfortantes! obrigada pelas palavras sempre gentis! um beijinho

    ResponderEliminar
  8. Sinto me tantas vezes assim estranha quando estou em grupo que às vezes tenho medo de não controlar as minhas expressões faciais que refletem o desprezo que estou a sentir (nem é pelas pessoas, é pela situação em si), e depois pronto.. bloqueio! É tão bom estar sozinha.. fazer o que me apetecer ...mas melhor do que isso.. é tão bom estar com uma pessoa com quem parece que estamos só connosco mesmos, e partilhar a sintonia! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mildness... cada um tem a sua pequena "nóia" e cada um sabe identificar também qual é a excepção que compensa tudo... =)

      Eliminar